Cresce o comércio bilateral entre Brasil e Itália

Dados sobre a balança comercial entre o Brasil e a Itália referentes a maio de 2014 revelaram aumento da corrente de comércio em relação a abril do mesmo ano, com desempenho expressivo de produtos como carne e café.

Relativamente ao comércio bilateral entre ambos os países, em maio de 2014 o Brasil exportou para a Itália US$ 433,62 milhões, o que representa leve queda de 1,35% em relação a abril do mesmo ano e aumento de 4,75% em comparação com maio de 2013.

Os dez principais produtos brasileiros exportados para a Itália foram: pasta química de madeira; minérios de ferro não aglomerados; café torrado em grão; soja; minérios de ferro aglomerados; couros bovinos incluindo o de búfalo; bagaços e outros resíduos sólidos da extração de óleo de soja; outros couros/peles inteiros; carnes desossadas de bovino congeladas; e ferro-níquel.

No mesmo período, o Brasil importou da Itália US$ 526,1 milhões, o que corresponde a aumento de 3,52% em relação a abril deste ano e de 5,19% sobre maio de 2013.

Os dez principais produtos italianos importados pelo Brasil foram: máquinas e aparelhos mecânicos; partes e acessórios de carrocerias para veículos automóveis;
medicamentos; partes para tratores e veículos; vagões ferroviários; grupos eletrógenos de motor de pistão; máquinas para empacotar e embalar; veículos e automóveis de combate a incêndio; óculos de sol; e helicópteros.

A balança comercial entre os dois países revelou aumento da corrente de comércio em 1,26% em relação a abril, atingindo US$ 959,73 milhões. O Brasil possui saldo negativo de US$ 92,47 milhões. Esse valor, no entanto, diminuiu em relação ao início de 2014. Em março, por exemplo, o Brasil importou da Itália US$ 278,03 milhões a mais do que exportou para o país europeu.

Embora discreto, houve aumento (1,26%) da corrente de comércio em maio entre os dois países. As vendas de produtos importantes da pauta de exportações brasileira para a Itália cresceram significativamente. A exportação de café, por exemplo, aumentou 60% em abril e 12% em maio. As vendas de carne, por sua vez, cresceram 9% em abril e 56% em maio.

Segundo avaliação da Câmara de Comércio de Monza e Brianza, uma das mais dinâmicas do norte da Itália, as exportações do Brasil para aquele país europeu deverão crescer, impulsionadas pela exposição do País nos meios de comunicação no contexto da Copa do Mundo. Os consumidores italianos, assim, teriam maior tendência a optar por produtos provenientes do Brasil.

Para reforçar a tese, a Câmara de Comércio citou o aumento das importações italianas provenientes dos países organizadores das três últimas Copas do Mundo: as exportações da África do Sul para a Itália cresceram 18,7%, em 2010; as da Alemanha, 10,2%, em 2006; e as da França, 5,4%, em 1998.

Fonte: http://www.brasilexport.gov.br/cresce-o-comercio-bilateral-entre-brasil-e-italia